1º Aniversário do Núcleo de Braga da UMAR

3 03 2009

No âmbito do 1º Aniversário do Núcleo de Braga da União de Mulheres Alternativa e Resposta, propomos um mês de Março recheado de iniciativas que prometem expressar os feminismos em Bracara Augusta. 

 

Tertúlia ‘As (R)evoluções do Dia Internacional da Mulher’

tertulia3Sáb. 7 MAR, 21h45
Estaleiro Cultural da Velha-a-Branca
Moderação: Sara Magalhães |UMAR

A União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) convida todas e todos para a tertúlia ‘As (R)evoluções do Dia Internacional da Mulher’ no sentido de pensar o surgimento, o percurso e a importância da efeméride na sociedade actual.

Carla Cerqueira
Doutoranda em Ciências da Comunicação
Universidade do Minho

Não há um consenso quanto ao marco histórico que esteve na origem do Dia Internacional da Mulher. No entanto, as posições predominantes apontam para a luta das operárias por melhores condições de vida. Sabe-se que o Dia Internacional da Mulher foi proposto por Clara Zetkin, em 1910, no II Congresso Internacional de Mulheres Socialistas. Existe, portanto, uma omissão da verdade histórica que está na génese da efeméride, mas a partir dessa altura começou a celebrar-se o dia em vários países. A data de 8 de Março tornou-se preponderante e em 1975 a ONU instituiu a efeméride, que se começou a celebrar em Portugal desde essa altura. Mais de trinta anos depois, várias foram as conquistas, mas há ainda um longo caminho a percorrer nas mais variadas áreas.

Pedro Pinto
Investigador em Psicologia Social na área de Estudos de Género e Teorias do Corpo
Universidade do Minho

No dia em que celebramos a conquista de liberdades, urge que questionemos os novos significados do discurso “mulher” na nossa sociedade. De que mecânicas se alimenta hoje o sexismo? Quais as formas de opressão das novas indústrias para mulheres? Quais as implicações de uma identidade “feminina” construída por uma ideologia de consumo?
Partindo de uma leitura feminista queer das linguagens mediáticas actuais, propõe-se reflectir sobre as políticas de representação da mulher e do corpo “feminino” no capitalismo contemporâneo.

 

Acção de rua: ‘Feministiza-te’

accao-de-ruaDom. 8 MAR, 15H30
Avenida Central

A União de Mulheres Alternativa e Resposta convida as/os bracarenses a juntar-se à acção de rua ‘Feministiza-te’, na qual serão acenados cartazes com slogans a remeter para a situação da mulher em Portugal e no mundo.
Paralelamente, no âmbito da campanha ‘Não sou cúmplice’, o núcleo de Braga colocará 43 bandeiras pretas sinalizadas num jardim do centro que correspondem ao número de mulheres assassinadas em 2008 vítimas de violência doméstica.

 

Concurso de Fotografia ‘Onde estão os feminismos?’

imagem11De 7 a 14 de MAR 2009
Entrega de Trabalhos Fotográficos

A União de Mulheres Alternativa e Resposta desafia todos e todas a participar no Concurso de Fotografia “Onde estão os feminismos?”. O objectivo consiste em fomentar, reconhecer e premiar a criatividade na área da fotografia, ao mesmo tempo que promove a reflexão sobre feminismos na actualidade.

Parceiro nesta iniciativa, o Estaleiro Cultural da Velha-a-Branca exporá a totalidade dos trabalhos em concurso. O júri do concurso é encabeçado pelo fotógrafo Hugo Delgado.
A inscrição é gratuita!

O regulamento do concurso estará on-line dentro de poucos dias.  

 

Festa Feminista UMAR

the-clitsSáb. 28 MAR, a partir das 23h
Insólito Bar

A comemoração do 1º Aniversário do Núcleo de Braga culmina com a Festa Feminista, que contará com a actuação dos ‘The Clits’. Criado em 2006, consiste num projecto electro-punk feminista, de cariz interventivo e performativo, composto por Ana Leorne (voz) e Lena F. (voz, guitarra e programações). Estes estrearam-se, editando sob a forma de EP, The World Is A Mess But My Hair Is Perfect, que contém sete faixas, entre as quais Girl Next Door e Somebody Else’s Body. Também farão parte de uma compilação da campanha patrocinada pela LEVI’S, juntamente com Bonde Do Role, Juliette and The Licks, The Go! Team, Operator Please, entre outros.
Os dj’s DuArte e Pitt Pull darão continuidade à festa com música electrónica.
DuArte iniciou o seu trabalho de dj em 1995 e assume residência no Insólito Bar há nove anos. É um dos co-fundadores da editora independente Meifumado.
Pitt Pull, por seu turno, faz parte da primeira geração de produtores portugueses de techno minimal. Desde 2001, o dj actua em diversos clubes e eventos nacionais, tendo também tocado na França, Inglaterra, Espanha e Brasil. É profundamente feminista.

A UMAR divulgará na Festa Feminista o trabalho fotográfico vencedor, atribuindo o respectivo prémio e também uma menção honrosa. 

A entrada é de 3 euros.
Participe!

União de Mulheres Alternativa e Resposta

Núcleo de Braga


Ações

Information

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: